Compartilhar ai vai!

Em Campina Grande: A noite que a maconha será louvada e o Sistema atacado sociologicamente!



Eita porra, no dia 18 deste mês, na próxima sexta-feira, o Clube Campestre vai virá um tremendo 'maconhodromo', ou 'a fumaça vai subir pra cuca'  ao redor ou derredor do show e evento dos Racionais MC's em Campina Grande-PB?

Sei não, não teremos fogueira de São João do Mundo, mas acho que vai ser fumaça pra todo lado, pois a maioria da galera doido que gosta da eva proibida vai participar do grande show dos mestres 'Racionais MC's". Que podem até questionando o que Bezerra da Silva questionava, "O Negócio é o seguinte: Se Leonardo dá 20, por que Marcelo não pode dá 2?"

Além do grande show que será cacetada no Sistema de corrupção e capitalismo selvagem, exaltação em favor das favelas e dos pobres, vai ter uma bela homenagem  ao mestre Bob Marley, que adorava a eva bendita que muitos chamam de eva maldita, mas é consumida em todo Brasil mesmo sendo proibida pelo Estado Brasileiro.

Achoque vou assistir o show dos mestres Racionais, vejo os mesmo como os poetas da periferia, que contrario o lixo do funk de ostentação e sem ostentação, os Racionais tem seu próprio estilo,  cantam músicas boa que em vez de iludir jovens com ostentação sem emprego e renda, fazendo da mulher um pedaço de carne bonina que se vende no açougue e feiras livres, eles combatem o racimos o verdadeiros e pior crime da Sociedade que é a má distribuição de renda, riqueza e poder politico centralizados no capital financeiro, imprensa pelega e alienante, em uma visão Sociológica da periferia cantada por quem vive o preconceito na pele.

Polêmica

O Mano Brown, foi alvo da imprensa nacional, quando foi parado em uma blitz, onde o registros da polícia que constatou que o cantor estava com CNH vencida e os documentos do veículo não batia, uma ação que levou Mano Brown à prisão em 12/04/2015 que super lotou as portas da delegacia com fãs pedindo a liberdade do ídolo da galera da favela e intelectuais de humanas e exatas.

O grupo 

Racionais MC's é um grupo brasileiro de rap, fundado em 1988, e formado pelos MC's, Mano Brown, Edi Rock e Ice Blue e o DJ KL Jay. É considerado por muitos como o grupo de rap mais relevante e influente do Brasil.

Suas canções demonstram a preocupação em denunciar como a destruição da vida de jovens negros e pobres da periferia de São Paulo é resultado do racismo e do preconceito, ao sustentarem a miséria diretamente ligada com a violência e o crime.Temas como a brutalidade da polícia, do crime organizado e do estado, bem como o preconceito, as drogas e a exclusão social são recorrentes nas letras do conjunto.

Embora inicialmente conhecido apenas na capital paulista, o grupo conseguiu alcançar sucesso significativo a partir dos álbuns Raio X Brasil (1993), Sobrevivendo no Inferno (1997) e Nada como um Dia após o Outro Dia (2002).

Os profestas da sociologia da periferia 

Assim como os saudoso Bezerra da Silva, Dicró, os eternos Racionais e o mestre Edson Gomes são os cantores que cantam o sofrer da pobreza, a verdade oculta pelo Sistema de Coisas que deseja ver apenas os filhos de pobre na cadeia.

A fumaça subiu pra cuca e os verdadeiros bandidos 

Ao titular que "em Campina Grande, a noite que a maconha será louvada e o Sistema atacado sociologicamente por Racionais, não estou afirmando que ocorrerá um coletivo de maconheiro, tão pouco estou unificando o grupo a 'eva proibida', mas todos sabem que com maconha ou sem maconha, eles falam o que muitos da elite não querem ouvir, nem desejam que o povão saibam.

É preciso lembrar que os verdadeiros bandidos estão em Brasília (em todo Brasil), atrás da grava e do colarinho", mesmo sabendo que os Racionais ficaram meio pelegos aos governo do PT, de Lula e Dilma, o rap contra o cack e crime organizado pela elite para os periféricos se lascar? Os Racionais falam o que professores se calam e a imprensa oculta.

As mais antigas de Racionais MC's:




Blog do Gari Martins da Cachoeira 









Nenhum comentário

Aviso: Os comentários serão moderados...

Tecnologia do Blogger.