Grato por sua visita!

Fim do racionamento de água em CG será em 1º de agosto



 O racionamento do abastecimento de água do açude Epitácio Pessoa, conhecido como Açude de Boqueirão, no Cariri paraibano, para abastecer Campina Grande e outras 18 cidades do Agreste vai ser encerrado no da 1º agosto deste ano. A previsão foi anunciada pela Companhia de Águas e Esgotos do Estado da Paraíba (Cagepa), nesta quarta-feira (5).

De acordo com o gerente regional da Cagepa, Ronaldo Menezes, os levantamentos feitos até esta quarta-feira apontam que em 27 dias o açude de Boqueirão deve atingir a marca de 8,2% do volume total, o que representa cerca de 33 milhões de metros cúbicos de água.

Boqueirão tem capacidade para armazenar 411,686 milhões de metros cúbicos de água. Nesta quarta-feira, o reservatório está com 7,1% da capacidade total (29,19 milhões de m³). Os dados são coletados diariamente pela Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa).

“Esse cálculo foi feito com base na quantidade de água que tem chegado através da transposição das águas do Rio São Francisco ao açude de Boqueirão e da saída da água de Boqueirão para o abastecimento das cidades”, explica o gerente.

Ainda de acordo com Ronaldo Menezes, mesmo ainda estando com um baixo volume de água, o racionamento se torna necessário para que ocorra uma renovação da água, para evitar novos problemas no sistema adutor e para tornar o abastecimento mais justo.

“Exames já mostram que a água quando fica parada muito tempo, acaba tendo a qualidade reduzida. Outro fator é que, com o racionamento, o sistema adutor acaba apresentando problemas ao ser ligado e desligado todas as semanas. Além disso, o racionamento acaba não sendo justo para todos. Pois alguns locais mais altos recebem água por menos tempo”, explica Ronaldo Menezes.

O racionamento

Desde 6 de dezembro de 2014, Campina Grande e outras 18 cidades abastecidas pelo açude de Boqueirão estão enfrentando racionamento de água. Em quase 2 anos e sete meses, os regimes de racionamento foram aumentando, na medida em que o nível do açude foi diminuindo.

No dia 18 de abril deste ano, o açude de Boqueirão chegou ao volume de 2,9% da capacidade total, sendo este o pior nível da história, desde que o açude foi construído na década de 1950. Na noite deste mesmo dia, ocorreu o encontro das águas da transposição, com o espelho d’água de Boqueirão. Desde então, o volume está aumentado todos os dias.





Fonte: Página 1 PB

Nenhum comentário

Aviso: Os comentários serão moderados...

Tecnologia do Blogger.