Hipocrisia: PGR pede ao STF ilegalidade de lei da vaquejada mais permite luta de UFC, o rodeio humano


O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ingressou com uma Ação direta de Institucionalidade no Supremo Tribunal Federal, contra a lei 10.428/2015, de autoria do deputado estadual Doda de Tião (PTB), que reconhece a vaquejada como atividade esportiva na Paraíba.

Na fundamentação, Janot usa a tourada, caça e ‘rinha de galos’ como exemplo de mau tratos aos animais. Segundo o procurador, a regulamentação da vaquejada submete bois a tratamento violento e cruel.

A ação será relatada pelo ministro Marco Aurélio Coutinho.

Lei 10.428/2015

A lei, cuja autoria é do deputado Doda de Tião (PTB), entrou em vigor em janeiro de 2015 e gerou grande repercussão, inclusive da mídia nacional, por conta da polêmica em torno de possíveis maus tratos contra animais.

Na época, o parlamentar argumentou que o projeto tinha como proposta ‘manter forte e viva a cultura nordestina por meio de festas de Vaquejadas, integrando as diferentes atividades correlacionadas culturalmente’. Clique aqui e confira o pedido de Janot.

O rodeio humano

E vou além, e aí corro sérios riscos de contrariar muitos usuários deste blog que apreciam as lutas promovidas pela Ultimate Fighting Championship - UFC, organização americana de artes marciais mistas, também conhecida por MMA. Sempre exibem fortes e graves lesões nos atletas, para a satisfação de milhares de sádicos, que se satisfazem com tamanha agressão, às custas de muito sangue e lesões, como se fossem os gladiadores romanos. Neste Ponto a PRG quer  STF dizer não para os bois, cavalos. Houve legislação que antes proibiu as famosas brigas de galo. No vazio, permanece o principal abandonado e esquecido: O ser humano trados pior que esses animais em luta de MMA no rodeio humano, o ringue.




Blog do Gari Martins da Cachoeira 
Com Wallison Bezerra – MaisPB



Nenhum comentário

Aviso: Os comentários serão moderados...

Tecnologia do Blogger.