Deputado do PMDB condenado a mais de sete anos de reclusão é preso ao desembarcar em Brasília


O deputado Celso Jacob (PMDB-RJ) foi preso assim que desembarcou em Brasília, nesta terça-feira (6), pela Polícia Federal para cumprir pena de sete anos e dois meses de reclusão. Há três semanas o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou o recurso do peemedebista e confirmou a condenação dele por falsificação de documento público e dispensa indevida de licitação. Os crimes, segundo a denúncia, ocorreram na gestão dele como prefeito de Três Rios (RJ), entre 2001 e 2008.

Ele é o terceiro deputado preso no exercício do mandato após ser condenado pelo Supremo. Os outros dois – Natan Donadon (RO) e Asdrubal Bentes (PA) – também eram filiados ao PMDB. O processo de Jacob dá uma mostra de como a Justiça brasileira é morosa para julgar políticos. O parlamentar fluminense foi condenado pelos crimes atribuídos a ele em 2006. O caso subiu para o STF, já na fase de recurso, em 2013, quando assumiu o mandato na Câmara. O início da pena só ocorre quatro anos depois da condenação.

O ministro Edson Fachin, que relatou o recurso, entendeu que o deputado favoreceu uma construtora ao decretar estado de emergência no município para contratá-la sem licitação para finalizar a obra de uma creche em 2002. O parlamentar foi preso na frente de passageiros, inclusive outros deputados, assim que chegou a Brasília, na saída do avião que o trouxe do Rio.




Congresso em Foco

Nenhum comentário

Aviso: Os comentários serão moderados...

Tecnologia do Blogger.