Grato por sua visita!

"Cemitério de zumbis": O fim da cracolândia e a hipocrisia reinante

Hipocritamente, o Conselho Federal de Psicologia chama ação de Doria na Cracolândia de ‘barbárie’


O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), tomou a decisão de acabar com a Cracolândia em parceria com o governo daquele estado. A Policia Militar e Guarda Civil Municipal retiraram os usuários de drogas, traficantes e outros criminosos do local a base da bala de borracha e gás lacrimogéneo.

Na madrugada deste domingo (21), uma operação com 900 policiais retirou usuários e prendeu traficantes no principal ponto de consumo e comércio de drogas no centro de São Paulo. Na sequência, Doria anunciou o "fim da cracolândia", mas sofreu criticas do Conselho Federal de Psicologia, que classificou como "barbárie" e "atrocidade" a ação da prefeitura na Cracolândia, com o fim do programa Braços Abertos, criado pela gestão anterior que só fazia manter vivo o uso de drogas em plena via pública, debaixo do bigode das policias. O CFP deveria saber que barbárie era o que a gestão anterior fazia, promovia acomodações para se drogarem alimentando o vicio desse povo. Realmente a Cracolândia é caso de Saúde Pública, que a na base da força.

O C.F.P diz que no lugar do programa criado pelo ex-prefeito Fernando Haddad (PT), São Paulo terá o Redenção, que inclui internações de dependentes químicos, que o dito Conselho é totalmente contra por defender o fim dos manicômios, mas não defendem o fim de ONG e entidades religiosas, que tratam de drogados com internamento. .

A hospedagem e a remuneração por trabalhos como varrer as ruas serão preservadas, desde que os usuários se comprometam a fazer tratamentos de desintoxicação ligados ao Recomeço, programa da gestão do governo de Geraldo Alckmin (PSDB).

Doria cala a boca do C.FP quee diz que as medidas tomadas pra acabar com a Cracolândia seria Barbárie. Barbárie era os dependentes viverem naquelas condições.O prefeito mostrou que  os que deixarem essa vida triste na Cracolândia, disse que "será mantida a remuneração e hospedagem em troca de comprometimento com o trabalho e a desintoxicação oferecidos." Nada mais justo que isso, não acham? O Conselho de Psicologia condena a atitude do Dória, mas esquece de sugerir algo melhor.

Além do uso da força, Doria e o governador Geraldo Alckmin usaram agentes sociais para recolher os drogados para fazer tratamento em clinicas especializadas, ofereceram alojamentos a outros, porém poucos aceitaram a ação positiva dos governos e tiveram que sair a força.

Doria recebeu criticas não só do Conselho Nacional de Psicologia, parte da imprensa Nacional, promotor e entidades de esquerda que acompanham os drogados, foram contra o uso da força para retirá aqueles "zumbis-humanos" e devolver o espaço a população.

Com a retirada dos "zumbis", o prefeito anunciou que todas pensões e hotéis invadidos, que eram ocupados e destinados a abrigar usuários de drogas serão interditados e demolidos. "Essa área será reestruturada urbanisticamente com prioridade para habitação popular", afirmou o prefeito.

A Globo, como sempre criticou o prefeito e o governador, certamente queria que fosse mantido aquele cemitério de zumbis, a cracolândia paulista. Questionou que a cracolândia não chegou ao fim, apenas mudou de lugar,mas para chegar ao fim tem que combater o mal na fonte, para isso, tem que ter uma politica nacional de combate as drogas pesadas e liberá as maneiras.

O governo Federal,deputados e senadores não visam criar uma politica de combate ao craque, que não é patrimônio especial de São Paulo, reina em todo Brasil.

No inicio da ação, criminosos saíram correndo, depredaram e invadira pontos comerciais, roubaram produtos do comercio, sem falar que, o que levou a prefeitura paulista em "acabar" com a cracolândia (não com o crack) foi que houve um homicídio no local ha dias atras.
 
O engraçado é que pessoas e órgãos de imprensa sempre criticavam a existência da cracolândia, mas agora, com a posição de Doria em por fim ao "cemitério de zumbis", teve gente que queriam que o prefeito levasse um padre para rezar uma missa e pedir aos "zumbis" que saíssem dali pelo amor de Deus, ou que colocasse todos em limousines e levasse pra casa dos críticos dessa ação em acabar com a Cracolândia.

Para os que não sabem, a Cracolândia (por derivação de crack) era uma denominação popular para uma região no centro da cidade de São Paulo, nas imediações avenidas Duque de Caxias, Ipiranga, Rio Branco, Cásper Líbero e a Rua Mauá e da Estação Júlio Prestes, onde historicamente se desenvolveu intenso tráfico de drogas e meretrício. Anos e anos se passara, governadores e prefeitos passaram, sempre prometiam acabar com esse "cemitério de zumbis", mas tudo não passava de discurso vazio motivados pela pressão midiática, depois evaporava e tudo voltava a normalidade, ou melhor, anormalidade. Espero que agora a Cracolândia chegue mesmo ao fim...

Prefeitura e governo de SP fizeram sua parte, falta o governo Federal. Os governos Doria e Alckmin estão de parabéns! Chega de passar a mão na cabeça de bandido. Tratem os viciados, acabem com a bandidagem.



Blog do Gari Martins da Cachoeira 

Nenhum comentário

Aviso: Os comentários serão moderados...

Tecnologia do Blogger.