Agora é permitido: Na Paraíba, motoristas podem dirigir embrigado, atropelar e matar pessoas que não fica preso




Tribunal de Justiça  da Paraíba toma decisão revelando que neste estado, ou melhor, no Brasil crime de transito deixou de ser crime? Pois  é, agora é permitido na Paraíba, motoristas poderem cometer crime de trânsito, como dirigir embrigado, furar blitz de lei seca, atropelar e matar pessoas,  não para o veiculo diante de uma ordem policial que não fica preso. Além disso, a decisão do TJ-PB foi tão radical que atrofio policiais Civil, militar, delegado e juiz de primeira insistência, porque a partir de agora, não adianta mais o policial deter, o delegado atuar e o juiz de primeira instância mandar prender um atropelador assassino, pois o TJ-PB decreta um habeas copus e manda soltar-lo. Mas só lembrando; quem tem esse direito de cometer crime de trânsito grave e não ficar preso, são apenas os ricos que tem muito dinheiro e pertença a família nobre do nosso estado.

Foi justamente o que ocorreu em nosso estado, o jovem "Rodolphinho", neto de Zé Carlos, dono das TV's Paraíba e Cabo Branco, que foi acusado de furar uma blitz da lei seca, atropelou e matou o agente de transito Diogo Nascimento, recebeu de presente um habeas copus as 3:00hs da madrugada, ficou em liberdade por um bom tempo, e só foi preso diante da forte pressão popular, mas ontem, novamente o nosso TJ-PB aceitou e decretou um novo habes copus, liberado, soltando o "Rodolphinho" para responder em liberdade.

Há mais de 2 anos o marido de uma prima minha, tomou umas doses de cerveja, foi dirigir se veículo após ingerir bebida alcoólica, para o seu mal, se deparou com uma batida policial, desviou da batida policial  como medo de passar pelo bafômetro e pagar muita, foi perseguido e preso, teve que pagar uma gorda fiança e os honorários do advogado, para poder responder em liberdade. Sera que era por que ele é assalariado  (pobre) e dirigia um carro simples? Será de ele fosse fico, tivesse furado uma blitz, atropelado e matado um agente da lei seca não precisava pagar fiança, bastava o seu advogado pedir um habes copus ao TJ-PB e ele seria solto sem pagar fiança, saía da cadeia zombando da casa dos parente e amigos da vítima que morreu por ele atropela, só porque o TJ-PB lhe cedeu um belo habes copus para ele responder em liberdade do porque é rico? Perguntar não é crime.


Impunidade: Filho de Eike Batista, Thor Batista foi absolvido em caso de morte de ciclista por atropelamento?

Após a 'prisão temporária' de Rodolpho Carlos, escrevi uma artigo questionando a ação de um julgador, que deve tomar decisão jurídica, não por fator externo nem por questões políticas, onde fiz a seguinte pergunta: "Será que o Rodolpho vai passar poucos dias na prisão?" Fiz essa pergunta, porque em via nacional um outro caso de atropelamento por pessoa rica gerou polemica em todo Brasil, em especial, quando o desembargadores da 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) absolveram, na quinta-feira dia 19 de fevereiro de 2015, o empresário Thor Batista, filho de Eike Batista, do atropelamento que causou a morte de Wanderson Pereira dos Santos na Rio-Petrópolis em 2012. Um ano depois da batida, Thor chegou a ser condenado pela juíza Daniela Barbosa, da 2ª Vara Criminal de Duque de Caxias, mas os advogados recorreram e reverteram a situação. À última decisão também cabe recurso. Mas quem iria recorrer?

Dois dos três magistrados votaram a favor da absolvição: Luiz Felipe da Silva Haddad e Paulo de Oliveira Baldez. Cairo Ítalo Franca David foi o único que votou pela condenação. Na sentença condenatória de primeira instância, a magistrada pede a apuração de “supostas evidências de crimes” praticados no processo, inclusive por Eike e Thor, citados em pedido de investigação ao Ministério Público sobre um acordo com o bombeiro militar Márcio Tadeu Rosa da Silva, que teria recebido R$ 100 mil como “compensação” pelo “auxílio e consolo à família da vítima”.

Condenação e polêmica

A juíza pediu ainda a investigação do perito que apontou a velocidade do carro na hora da batida de 110km/h. No laudo seguinte, feito por outro profissional, a velocidade registrada era de 135km/h.

"Como disse em seu interrogatório, as multas de trânsito não eram problema dele [Thor], mas, sim, de alguma secretária. Bastava pagar, e pronto. E, também, [ele] somente soube pela mídia sobre a quantidade de pontos acumulados em sua carteira de habilitação. Com tamanha blindagem, restou ao Acusado [Thor] a melhor parte: dirigir seus carros fora-de-série, aproveitando ao máximo aquilo que parece ser um dos seus maiores prazeres, a velocidade. E foi assim, livre para dirigir da forma que desejasse, desrespeitando as normas administrativas e legais, que o Réu [Thor] atropelou e matou Wanderson Pereira dos Santos no começo da noite do dia 17 de março de 2012", escreveu Daniela Barbosa.

O acidente 

Na noite de 17 de março de 2012, Thor Batista atropelou e matou um ciclista que cruzava a Rodovia Washington Luís (BR-040), na altura de Xerém, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

O ajudante de caminhão Wanderson Pereira dos Santos passava de bicicleta pela pista sentido Rio, na descida da serra, e foi atingido pelo carro do filho do bilionário, uma Mercedes-Benz SLR McLaren prata, placa EIK-0063, ano 2006.

O caso de Rodolpho que matou Diogo Nascimento

O mesmo que ocorreu com o playboy. Thor Batista, ocorreu com o "Rodolphinho" da PB. Segundo o Portal Correio, ontem(11), a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) julgou mérito e concedeu habeas corpus em parte a Rodolpho Gonçalves Carlos da Silva, preso por atropelar e matar o agente da Lei Seca Diogo Nascimento durante uma blitz da Lei Seca, na madrugada do dia 21 de janeiro deste ano, em João Pessoa. Com a decisão, Rodolpho Carlos, não vai cumprir pena na prisão.

Rodolpho Carlos estava preso em cela individual no presídio PB-2, que faz parte do Complexo Penitenciário de Segurança Máxima Romeu Gonçalves de Abrantes, em João Pessoa.

Ao Portal Correio, o advogado de Rodolpho Carlos, José Ideltônio, confirmou a decisão e disse que aguarda os trâmites internos do TJPB para a liberação de Rodolpho da prisão.

"Ele vai ser liberado e vai haver imposição de medias cautelares, que foi o que foi requerido pela defesa desde o primeiro instante, como o recolhimento da CNH e do passaporte, proibição de frequentar bares e restaurantes, proibição de se ausentar da Comarca sem autorização judicial", afirmou o advogado.

Ainda na decisão, foi garantido a liberação para que Rodolpho Carlos volte a trabalhar e estudar normalmente.

"Foi resguardado o direito dele de seguir com sua vida normalmente. Nossa expectativa é de que ele seja solto [hoje], mas iremos aguardar os tramite internos", concluiu o advogado.

Essas decisões jurídicas esdruxulas revelam que no Brasil o crime de transito compensa, que vale a pena atropelar e matar um cidadão, pois o atropelador assassino não fica preso, isto é, se a vitima tiver o privilégio de ser atropelada, assassinada por uma forte batida de um carro de luxo, e se o atropelador assassino for muito rico, se pobre, classe média baixa é preso apenas se for parado em uma blitz dirigindo sobre efeito de bebida alcoólica, ou se não pará diante de uma abordagem policial, é preso na mesma hora, se não tiver condição financeira pra contratar um advogado, e se não pagar a fiança, é levado para o presidio como se fosse um perigoso assassino.  Issos é coisa do Brasil!






Blog do Gari Martins da Cachoeira 
Com Portal Correio 







Nenhum comentário

Aviso: Os comentários serão moderados...

Tecnologia do Blogger.