Vida de índio e o verdadeiro Comunismo homenageado no Caldeirão do Huck

“Eu me inspiro e me espelho nos índios brasileiros”, diz ator Marcos Palmeira ao prestar homenagem a Benki Piyako, líder indígena do Acre


Não gosto muito da Globo, mas hoje tenho que parabenizar a Rede Globo pela bela reportagem no programa de Luciano Huck, falando sobre o verdadeiro comunismo, vida de índio.

A bela reportagem mostro o trabalho ambiental do cacique Benki Piyako, da tribo ashaninka, que teve sua história de vida e de luta socioambiental na Amazônia contada no programa Caldeirão do Hulk, apresentado por Luciano Huck. Que abriu espaço para o ator Marcos Palmeira, apresentar a história de Benki Piyako, líder indígena do Acre, de 43 anos. “Eu me inspiro e me espelho nos índios brasileiros. Eles me ensinam a entender como é importante respeitar a natureza e conviver com ela em equilíbrio. Eu acho que é uma coisa que constrói um pouco a minha estrada hoje”, afirmou o ator, antes de homenagear o seu apadrinhado. Analfabeto, Benki possui uma longa trajetória de defesa à preservação de aldeias e de combate à exploração predatória das terras. Agente agroflorestal e responsável pelo plantio de 10 milhões de árvores, trabalha ainda na recuperação de comunidades perto da fronteira do Peru e procura disseminar técnicas a essas comunidades que ajudem a preservar o meio ambiente.

As imagens na reportagem revelou o dia a dia do índio que vivem do fruto da terra, sem estado, dinheiro, políticos para mentir, judiciário não funciona, policia truculenta, empresários para sungar o sangue do trabalhador. Sem sindicalista e gente de esquerda defendendo um Comunismo utópico, pois eles vivem de fato uma vida em comum, onde tem água e comida de graça e repartem entre todos que devem cuidar bem da Natureza, sua mãe terra.

Caldeirão do Huck
Ainda sobre Benky, ele possui longa trajetória de defesa de preservação de aldeias e de combate à exploração predatória de terras no Acre e no fim da apresentação de sua história, Marcos Palmeira presenteou o cacique com um troféu, deixando todos da plateia emocionados, até eu que não estava lá fiquei.

Benki Piyako é um índio acreano conhecido mundialmente, palestrante e estará na próxima novela das 21hs, “A Força do Querer”.

Na edição que foi ao ar na tarde deste sábado,  primeiro de abril, o Caldeirão do Huck reuniu atores, músicos, comunicadores, influenciadores sociais, atletas e formadores de opinião para homenagear pessoas que têm história de altruísmo em nome do bem coletivo.

Até que fim a Rede Globo passou o que presta, mostrando historia de altruísta que lutam para mudar a vida de pessoas e comunidades.

Até que fim a Rede Globo tá passou o que presta, mas ainda no programa do Caldeirão do Huck, mostrando historia de altruísta que lutam para mudar a vida de pessoas e comunidades.

Sempre gosto do quadro "Lata Velha", mas confesso que o  programa de hoje foi bem melhor que a politicagem jornalistica da Globo e outras emissoras, como da apologia a ditadura gay nos programas popular, o folso vitimismos dos negros que aumentar o preconceito e discriminação em vez do bom debate, estelionato religioso com cura divina em nome da oferta e do dizimo e muita leseira que reina em boa parte de TV aberta no Brasil.


Blog do Gari Martins da Cachoeira 






Nenhum comentário

Aviso: Os comentários serão moderados...

Tecnologia do Blogger.