População de São José da Mata apelam para que PMCG possa ampliar ou construir um novo cemitério naquele Distrito


Populares solicitam urgentemente da PMCG a construção de uma Central de Velórios e a ampliação do cemitério do Distrito de São José da Mata.

Segundo o moradores daquele Distrito, a comunidade conta com uma população de aproximadamente 20.000 habitantes, maior que muitas cidades da nossa Paraíba e, ainda não possui uma Central de Velórios, alegam que há muito tempo que os habitantes daquela localidade clama ao Poder Público por uma Central de Velório e, também, pela ampliação ou construção de um novo Cemitério, já que o único que tem não mais comporta os féretros, fazendo com que muitos moradores tenham que sepultar seus familiares nos cemitérios  de Puxinanã, Pocinhos, Boa Vista e Campina Grande.

Situado Rua João Miguel Leão s/n – CEP: 58.113-000, o Cemitério de São José da Mata, fica localizado na zona rural de Campina Grande, foi inaugurado em 1954. É de propriedade pública, tendo ocupação de forma ordenada, com uma área de 4.215,00m², tem cerca de 5.660, pessoas sepultadas, distribuídas seus 219 terrenos próprios e 215 covas rotativas. A média de sepultamentos 10 pessoas por mês e 120  por ano.

Nos últimos 35 anos, Campina Grande cresceu, mas não foi construído nenhum cemitério público para atender a população, abrindo assim, margem para o surgimento e exploração de campos santos particular, e aparecimento de empresas que vende plano funeral, que só falta oferecer aos seus clientes, terreno no céu.

A cidade conta com nove cemitérios existentes em Campina Grande, incluindo os três localizados nos distritos de Galante, São José da Mata e Catolé de Boa Vista. Os mais populares são os cemitérios de José Pinheiro, Cruzeiro, do Santíssimo em Vila Cabral de Santa Terezinha, Nossa Senhora do Carmo no Monte Santo, Bodocongó, Araxá e o Campo Santo Parque da Paz que é de cunho particular.

Na verdade, não só o Distrito de São José da Mata precisa de um novo Cemitério, as Zonas, Leste, Oste, Norte e Sul tem carência de novos cemitério público, diante do avanço de óbitos oriundos da violência e de doenças devido a falta de segurança e saúde pública de qualidade, que deixa a população refém de bandidos e de doenças leves que se tornam agudas levando muitos a morte por falta ou mal atendimento na saúde pública.








Blog do Gari Martins da Cachoeira 


Nenhum comentário

Aviso: Os comentários serão moderados...

Tecnologia do Blogger.