Historia: Conheça a 'casa das nove mortes' e a"Chacina dos Noves" que ocorreu em Pocinhos na Paraíba há 50 anos atrás



Foto: reprodução do Facebook de Ubiratan Cirne
A  foto ao lado mostra a maior chacina já registrada na Paraíba que aconteceu em Pocinhos há mais de 50 anos, mais precisamente, no sítio Gravatá em Pocinhos - PB em que  nove (9) pessoas de uma mesma família foram assassinadas por uma só pessoa, o acusado foi um sujeito por nome Arlindo, ele foi preso e cumpriu mais de 30 anos de cadeia. Esse fato teve ampla repercussão nacional, e marcou Pocinhos para sempre. A foto aqui apresentada é uma grande relíquia. Todas as vítimas estão sepultadas em Pocinhos, mas muitos muitos jovens da cidade desconhecem essa triste história!

Pouca gente sabe disse fato macabro, só os mais velhos lembram de tudo o que aconteceu. No cemitério de Pocinhos está o túmulo com as nove cruzes. Do lado esquerdo de quem entra na terceira rua.

Hoje não existe quase nada da estrutura dessa casa onde ocorreu a chacina, que ficou conhecida como ' casa das nove mortes'.

Não se sabe ao ceto mas acredito que todos foram mortos a facadas, por que de tiro seria improvável porque não tinha como recarregar uma arma e muitos teriam conseguido fugir. Quando o bandido mantou as vitimas estavam todos dormindo. No outro dia só notaram por que o sangue corria por baixo da porta. É que o contam os mais velhos.

Segundo Romero Andrade, essa foto é uma relíquia, pois quem era o Delegado na época, era o seu pai, Coronel Cícero Andrade, que estar em pé na foto, o segundo da esquerda, de branco, ele desvendou o caso, e prendeu o acusado Arlindo, e por ironia, só escapou a vitima por nome de Arlindo também por que era cunhado do matador (Arlindo) mesmo nome. O criminoso passou 30 anos preso no presídio do Roger, em João Pessoa, mas nunca assumiu a chacina!

Romero Andrade também afirma que o assassino foi mesmo o Arlindo, ao dizer:"O Arlindo matou todos (segundo o meu pai que passou para gente quando éramos crianças, que ele matou porque a família mandou a noiva acabar o noivado, o Arlindo não conformado, deixou uma das portas aberta que na época tinha uma peça chamada (tramela) que fechava a janela, e ninguém percebeu,quando foi tarde da noite, ele voltou, entrou pela dita janela, e matou todos, os avós, os pais da noiva, irmãos e sobrinhos, só escapou o irmão da noiva o Arlindo (mesmo nome do assassino) por que saiu para um forró, e quando retornou, viu muito sangue saindo por baixo da porta, foi aí que ele quando entrou, viu aquela cena horrível, pegou o cavalo e foi na delegacia denunciar o fato ao meu pai, então Delegado de Pocinhos na época, no mesmo dia ele prendeu o acusado que passou 30 anos preso e nunca confessou! E para terminar, ele eu lembro-me que o meu avô "João Perú" como era conhecido por aí, falou que tirava o sangue de pá, pois não tinha nem como lavar a casa, era pior que um matadouro, isso eu me lembro quando ele narrava o fato,ou seja, o meu pai e o meu avô!"

De acordo com informações, Depois que Arlindo saiu da cadeia passou a ser sapateiro, mas sempre afirmava que não tinha feito aquilo e ele morreu mais ou menos há uns seis anos atrás no Bairro do Roger, em João Pessoa. 


Foto: reprodução do Facebook de Ubiratan Cirne


Blog do Gari martins da Cachoeira 
Com Ubiratan Cirne e Romero Andrade 









Um comentário:

Aviso: Os comentários serão moderados...

Tecnologia do Blogger.