16/01/2012

Delegado diz que não se pode abrir inquérito de estupro sem representação


Monique e Daniel protagonizaram cenas quentes embaixo do edredon após a festa de sábado (14). Foto: TV Globo/Divulgação Monique e Daniel protagonizaram cenas quentes embaixo do edredon após a festa de sábado (14)
Foto: TV Globo/Divulgação



Procurado pelo Terra, o advogado Sergio Ribeiro explicou o caso o inquérito que foi aberto pelo delegado Antonio Ricardo, titular da 32ª DP (Taquara), para apurar o suposto estupro praticado por Daniel na colega de confinamento no BBB 12 Monique.

"A lei especifica que para abrir um inquérito de estupro deve haver representação da vítima, ou seja, se o delegado instaurou este inquérito foi de ofício ou porque algum familiar de Monique, que está confinada, pediu que ele fizesse isso", falou Sergio.

Segundo ele, uma segunda opção seria a de que o inquérito seja por outro tipo de crime, como o de omissão. "Se há a chance de ter ocorrido um estupro dentro de um programa de TV da Globo e a emissora não se pronuncia e não toma providências, pode-se abrir um inquérito de omissão por parte da emissora e o programa pode até mesmo ter que sair do ar", continuou.

O advogado também explicou como funciona a nova lei de estupro: "antes, apenas a introdução do pênis na vagina sem o consentimento de uma das partes era considerado crime desta natureza, mas atualmente, sexo anal e sexo oral sem consentimento também são classificados como estupro".

Entenda o caso

A polêmica envolvendo Daniel e Monique começou na madrugada do dia 15 após a primeira festa da casa do BBB. No quarto, os dois protagonizaram cenas quentes embaixo do edredon, na mesma cama em que estava Rafa. Após alguns minutos Fael chega no quarto para se deitar em outra cama e os dois param de se beijar. Em seguida uma cena rápida mostra Daniel se mexendo embaixo do edredon e Monique aparentemente dormindo. Em seguida a cena é cortada.

A sequência desencadeou um grande alvoroço na opinião pública, que comentou o caso e protestou nas redes sociais. Algumas das acusações populares contra o modelo sugeriam um caso de abuso sexual e estupro. Já os defensores do brother diziam que a acusação era racista por Daniel ser negro.
No domingo (15) Monique foi chamada ao confessionário para prestar esclarecimentos. Na ocasião a gaúcha afirmou que ela e Daniel tinha se beijado e trocado carícias, mas disse que não havia feito sexo. Em conversa com Daniel os dois foram categóricos ao dizer que não fizeram sexo na casa. Em outras conversas ao longo do dia tanto Monique quanto Daniel demonstraram arrependimento.

O programa da noite de domingo, que formou o primeiro paredão da casa entre Jakeline e Analice, ainda exibiu cenas da festa e a troca de carícias entre Daniel e Monique. Entretanto, a edição não exibiu o trecho mais polêmico quando Daniel se mexe com Monique aparentemente dormindo. O apresentador Pedro Bial ainda brincou com os dois sobre as cenas mas o programa não citou a polêmica.

Na segunda-feira (16), a polêmica voltou e uma diligência policial, foi ao Projac, onde está situada a casa do BBB. No local, de acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil do Rio, o delegado titular da 32ª DP, situada em Taquara, zona oeste da cidade, Antonio Ricardo, abriu um registro de ocorrência para ouvir os envolvidos.
Monique foi chamada novamente ao confessionário sob o pretexto de um consulta com um dentista. O áudio da modelo gaúcha chegou a vazar em seu depoimento Monique voltou a negar que tenha feito sexo conscientemente com Daniel. "Só se ele fez comigo enquanto eu dormia. Mas aí ele seria muito mau caráter", chegou a afirmar a modelo.
Terra
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Retalhos da Memória: O Contraste do Gari Mais Politizado da Paraíba

Retalhos da Memória: O Contraste do Gari Mais Politizado da Paraíba Martins comenta Sobre a Historia da Antiga Favela da Cachoeira
Siga-me nas redes sociais: